Nokia 3310 4G e Reliance Jiophone: os featurephones alcançam o paraíso do LTE

De maneira bem discreta, a HMD Global anunciou o Nokia 3310 4G na China.

Nokia-3310-4g.png

Além de LTE, Wifi e VoLTE, o Nokia 3310 4G conta com o YunOS, o fork AOSP da Alibaba, como sistema operacional, em vez do Series 30 das versões 2G e 3G; isso não significa que o Nokia 3310 4G seja um smartphone, mas sim um featurephone que roda um SO que suporta LTE.

(Certamente saberemos na MWC, quando a HMD lançar o 3310 4G para o resto do mundo, se o YunOS vai ser substituído na versão global do telefone)

Aliás, o Nokia 3310 4G não é o primeiro featurephone com LTE; o Jiophone, carro-chefe do espetacular sucesso da Reliance Jio na Índia, roda o KAI OS, que é… um fork do falecido Firefox OS.

Afinal, os featurephones precisam migrar para o LTE, certo? 5G tá aí, as operadoras querem fazer refarming das redes GSM e 3G… e nada como usar versões menores dos SO de smartphones que já existem.

 

Anúncios

Fairphone, F-Droid e os updates automáticos de apps

Os usuários do Fairphone Open, a versão AOSP do sistema do Fairphone 2, agora podem usar o F-Droid como loja de apps sem precisar dar voltas e mais voltas na hora da necessária atualização dos apps instalados.

É a primeira ROM AOSP que tem auto-atualização de apps sem o GMS por perto, o que é uma excelente notícia para quem quer viver uma vida Google-less, ou pelo menos open source, no Android.

Os interessados podem ler mais aqui.

eelo: a distro AOSP do criador do MandrakeLinux

Quem estava por dentro da cena Linux na década passada lembra do Mandrake Linux, depois Mandriva: uma das primeiras distros desktop Linux a se preocupar com facilidade de instalação e uso, foi durante um tempo a referência neste campo, até a chegada do Ubuntu.

Depois de um tempo sumido das manchetes, Gäel Duval, o criador da distro, volta com o crowdfunding do eelo, uma distribuição AOSP voltada para a privacidade.

eelo.png

Com um discurso que o aproxima do Pure OS, uma ideia de segurança que o aproxima do Copperhead OS e uma base Lineage OS, o eelo tem um monte de lacunas a serem preenchidas; provalvemente a única definição firme neste momento é o Bliss Launcher. No entanto, faltando 30 dias para terminar o crowdfunding e já com mais de 10% da meta de 25 mil euros, está mais ou menos certo que Duval e sua equipe terá tempo de tapar estes buracos assim que encerrar a campanha.

(via Xataka Android)

 

Project Treble, ou o contorno do Google nos problemas de atualização do Android

O Project Treble, anunciado hoje, é uma elegante solução de contorno para o problema das atualizações do Android; ao modularizar a base do sistema operacional e separar o low-level (leia-se drivers), garante que os fabricantes de celulares/tablets possam enviar as atualizações sem precisar esperar pelos fabricantes de SoCs e outros chips – e, no caso de mercados mais fechados ao modelo desbloqueado como os EUA, as sempre lentíssimas operadoras.

E, de bônus, traz fabricantes, tanto de celulares como de SoC e outros chips, para o AOSP, o que é ótimo.

O dia que a Nintendo quase usou Cyanogen OS no Switch

Pois é, e isso quase aconteceu mesmo.

Como a Cyanogen Inc não estava no negócio de customizar e fechar Android/AOSP para terceiros, faz todo sentido recusar (apesar da educação e da fleugma de Kirt McMaster).

Yahoo Aviate 3.0: o primeiro sinal do Android roxo

O Yahoo Aviate foi atualizado para a versão 3.0. A terceira major version do que já foi um excelente launcher contextual, ainda quando era Aviate Launcher, não foi assim tão bem recebida.

O motivo? A aparição do Smart Stream, uma espécie de Google Now da empresa de Sunnyvale.

O leitor há de convir que recriar o Google Now no Android só faz sentido lógico em duas situações: oferecer o Yahoo Aviate para fabricantes lançando dispositivos com sistemas AOSP não-Google ou… se o próprio Yahoo resolver entrar nesse mercado AOSP não-Google.