O Sailfish (e o Sailfish X) chegam em 2018 ao Brasil

SailfishOS_logo

A Jolla lançou o primeiro post do ano no blog, falando do que está reservado para o Sailfish X em 2018.

E… olha que interessante… sobre a nova versão do Sailfish OS (grifos nossos)…

sailfishx-brasil-1

A próxima versão do Sailfish X virá com suporte a português do Brasil

…e sobre a venda do Sailfish X para instalar no Xperia X (grifos também nossos)…

sailfishx-brasil-2

Será que já será possível assistir à Copa do Mundo com o Sailfish X vendido no Brasil?

 

Acciona: a estratégia latina da Jolla começa na Bolívia

Desde que a Jolla abandonou a fabricação de hardware e se tornou uma empresa de software, vem tentando espaço fora dos EUA, com variados resultados: se na Europa tem sido mais bem-sucedido e os esforços na Índia parecem ter se perdido no mar de esforços na Índia que todo mundo está fazendo, ainda faltam muitos mercados pelo mundo afora.

Um destes mercados é a América Latina e a Jolla consegue um parceiro: o grupo boliviano JALA lança sua linha de telefones Acciona, rodando Sailfish.

(Sem entrar em questões geopolíticas, a Bolívia é um mercado periférico dentro do continente; parece o local ideal para a Jolla conseguir um parceiro, já que é um mercado que não tem tanta atenção dos grandes players.)

As especificações são para competir com a linha Galaxy J, não por acaso a mais popular do continente…

…e os preços são relativamente compatíveis com a concorrência…

…e, claro, todo o discurso de independência tecnológica (o Grupo Jala tem origem em software).

Começar pela Bolívia me parece uma boa ideia para o investimento da Jolla na América Latina, especialmente se o Grupo Jala conseguir cumprir suas metas para 2018, tipo ter sua própria nuvem (e seus próprios serviços). A questão é se a Jolla vai conseguir contar sua história (e conseguir parceiros) em mercados latinoamericanos mais maduros, mais disputados e mais ligados a Google, Apple e Samsung.

Sailfish X: é possível ter um Sailfish OS (se você tiver um Xperia X em alguns países)

Na MWC deste ano, a Sony e a Jolla anunciaram uma parceria para levar o Sailfish a alguns telefones Xperia, começando pelo Xperia X, o reboot da linha de telefones da empresa japonesa, que também estava saindo na mesma feira (que em Xperia-time, é duas gerações atrás).

Depois de um ano inteiro de trabalho, a Jolla finalmente anuncia o início das vendas do Sailfish X, o Sailfish OS para Xperia X (para daqui a duas semanas).

Vai custar 49,90 euros, vai estar disponível em alguns países da Europa (e talvez EUA e Canadá), algumas coisas ainda não estão funcionais (Bluetooth, leitor de digitais etc), e ainda falta cumprirem a promessa de liberarem o código (mas daqui a duas semanas alguém cobra).

Intex Aqua Fish: finalmente o Sailfish OS chega ao mercado indiano

SailfishOS_logo

Um ano depois do anúncio e cinco meses depois da primeira aparição, finalmente…

A 5499 rúpias (mais ou menos 270 reais no câmbio do dia deste post), o consumidor indiano leva um Snapdragon 210 (lembrando que, como é feio falar em Snadragon 210, os fabricantes podem usar o “nome de datasheet” Snapdragon MSM8909) a 1,3GHz com tela HD de 5″, 2GB de RAM, 16GB de armazenamento, câmeras de 8/2 megapixels, bateria de 2500mAh e LTE – e, claro, Sailfish OS 2.0 com suporte a apps Android (mas sem Play Store, Play Services etc).

Turing Phone: o primeiro Sailfish fora da Jolla

Desde que a Jolla, basicamente, se transformou numa empresa de software, todo mundo passou a esperar quem seriam os tão falados interessados no licenciamento do Sailfish.

Hoje sabemos que é o Turing Phone – vai ver por isso o telefone, agora, deve ser entregue para quem já fez a pré-compra só em abril.

(E sim, sabemos que a Fairphone tem Sailfish no Fairphone 2, mas ainda é um build comunitário, com os aparelhos vindo oficialmente com Lollipop).

Quatro que chamaram a atenção durante as festas

Uns e outros

Uns ganham fôlego…

…outros perdem fôlego.