O protótipo do Librem 5 diz “oi” pro mundo

Teve mais um estado do progresso do Librem 5 que não tem nada suficiente novo e não seria notado se não fosse seguido de…

Sim, por enquanto o protótipo ainda está com o velho i.MX6, mas não deve demorar até termos uma versão com o (definitivo) i.MX8M.

Agora é a vez da Purism tentar a sorte na convergência

Um novo post com o progresso do Librem 5, desta vez focando em design. E, claro, citando “convergência”.

Além dos mockups, a colaboração com o upstream (KDE e GNOME), porque afinal é a Purism.

A opinião continua a mesma desde dezembro de 2014: convergência é uma solução em busca de um problema.

(em notas relacionadas)

A Purism começa a falar do Librem 5

Depois de um longo silêncio desde o resultado do crowdfunding, a Purism começa 2018 dando uma geral do estado do Librem 5.

Além da promessa de uma atualização de estado toda terça-feira…

  • a Purism reforçou o time do Librem 5;
  • vai mesmo usar o NXP i.MX8M (Cortex-A53) em vez do NXP i.MX6 (Cortex-A7);
  • vai compilar o Pure OS para arm64;
  • vai usar Wayland;
  • está trabalhando com GNOME e KDE na UI/UX de telefone do Pure OS;
  • ainda está completando os boards de desenvolvimento.

O Purism Librem 5 e os dois grandes desktops Linux

O Librem 5 consegue dois apoiadores de peso: se semana passada o KDE anunciou parceria com a Purism para portar o Plasma Mobile, esta semana a Fundação GNOME anuncia que também será parceira da Purism para que as tecnologias GNOME/GTK funcionem bem no telefone livre.

Faltando 33 dias e chegando a um terço do 1,5 milhão de dólares de meta, o crowdfunding do Librem 5 precisará de todo apoio que conseguir.

Librem 5: a Purism se aventura nos smartphones

A Purism, em setembro de 2016, fez a pergunta: quem quer um telefone rodando GNU/Linux?

Bom, parece ser gente suficiente, já que a Purism abriu o crowdfunding do Librem 5.

Por 599 dólares, o apoiador receberá em janeiro de 2019 um telefone de 5″, rodando i.MX6 ou i.MX8 (ambos com GPU Vivante), 3/32GB de memória/armazenamento, suporte a 2G/3G/4G LTE, kill switches pra tudo e mais um pouco, PureOS com stack móvel (mas pode rodar outras distros) e uma interface GTK/GNOME (mas que pode ser Plasma Mobile), suporte a apps HTML 5. E, ah, sim, claro: privacidade, criptografia, código livre e, quem sabe, convergência.

O objetivo é chegar a 1,5 milhão de dólares até final de outubro.

(olha só, saiu até no Engadget!)