Lembrando que o Gemini PDA também roda Linux

O Gemini PDA bateu a meta, está indo razoavelmente bem no sempre complicado caminho do crowdfunding até os bolsos… mas até agora só era visto rodando Android, apesar de ser dual-boot Android/Linux.

Bom, finalmente tem um vídeo rodando Linux. O trabalho está sendo feito em cima do Debian 9 e a demonstração é de LXDE, o que significa customização zero para touchscreens sem precisar de stylus. Mas até o Wifi já está funcionando, o que é uma boa notícia para quem quer usar um Linux mais “ortodoxo”.

Anúncios

Librem 5: a Purism se aventura nos smartphones

A Purism, em setembro de 2016, fez a pergunta: quem quer um telefone rodando GNU/Linux?

Bom, parece ser gente suficiente, já que a Purism abriu o crowdfunding do Librem 5.

Por 599 dólares, o apoiador receberá em janeiro de 2019 um telefone de 5″, rodando i.MX6 ou i.MX8 (ambos com GPU Vivante), 3/32GB de memória/armazenamento, suporte a 2G/3G/4G LTE, kill switches pra tudo e mais um pouco, PureOS com stack móvel (mas pode rodar outras distros) e uma interface GTK/GNOME (mas que pode ser Plasma Mobile), suporte a apps HTML 5. E, ah, sim, claro: privacidade, criptografia, código livre e, quem sabe, convergência.

O objetivo é chegar a 1,5 milhão de dólares até final de outubro.

(olha só, saiu até no Engadget!)

Crowdfunding do dia: Gemini, PDA com Linux e Android

O designer dos Psion 3 e 5. O design dos Psion 3 e 5. O PDA com teclado que definiu todos os PDAs com teclado está de volta – e, como estamos em 2017 e PDA é um produto de muito nicho, está no Indiegogo. Rodando Android e Linux, com versões Wifi e Wifi+LTE.

gemini_annotated_w648px

(via El Reg, óbvio, tem poucas coisas mais inglesas na computação que Psion)

A Purism testa as águas de um telefone com GNU/Linux

O fato de OpenMoko, webOS, Firefox OS, Sailfish, Ubuntu Phone e Tizen não terem conseguido emplacar um telefone com stack GNU/Linux “clássico” (os três últimos continuam tentando) não parece ter intimidado a Purism, que está coletando feedback para um Librem Phone com GNU/Linux.

As especificações não são nenhuma maravilha (Freescale i.MX6 com Vivante GC200, alguma quantidade não-especificada de RAM DDR3, alguns sensores, microUSB, entrada de fone de ouvido; além disso, pode ter microSD, GPS, webcam, microfone e kill switches por hardware.

Quanto ao software, até agora nada se a Purism vai aproveitar os projetos existentes ou reinventar a roda do zero. Só sabemos que será um stack GNU/Linux “clássico”.

(via)

Projeto da semana: Maru

Rodar desktops a partir do telefone nunca esteve tão na moda. Por exemplo, o Maru.

Durante o carnaval, o Maru apareceu com uma proposta simples: uma ROM flashável, primeiramente para o sempre querido Nexus 5, com um container LXC contendo um desktop Debian; basta adicionar um mouse e um teclado Bluetooth e ligar o telefone a um monitor via HDMI.

Parece que o sucesso foi tão grande que vai ser transformado num projeto de código aberto.

(via)