Xiaomi Mi A1: a volta do Android One e o espólio dos Nexus

O Google não pode ser acusado de não tentar emplacar o Android One. Se não deu certo na primeira, na segunda, na terceira… vez, tente outra vez.

Melhor ainda… chame a Xiaomi, que se recuperou particularmente na Índia, e entregue o Mi A1: a primeira incursão do Android One a sério na gama média (bateu na trave com a General Mobile e com a Sharp, mas não era tão explícito) com Snapdragon 625, tela 5,5″ Full HD, 4GB/64GB, câmera dupla de 12 megapixels e… Google Android Nougat (sem MIUI, obrigado Google!) com promessa de Oreo ainda este ano e promessa de ser um dos primeiros com Android P(Pudim! Pudim!).

Google e Xiaomi calibraram bem o Mi A1 para que o topo de linha Android One sirva, também, para ocupar o espaço vazio desde o fim da linha Nexus, de aparelhos com Google Android (sei, sei, tem uma ou outra coisa da Xiaomi) a preços mais em conta… e ainda chega antes do rumoroso Nokia 7. Tendo em vista que este blog é viúva da linha Nexus, não estamos reclamando.

O preço, na Índia, está em 14990 rúpias, ou 235 dólares, ou 735 reais.

E, apesar do lançamento ter sido na Índia, o Mi A1 vai ter um lançamento global forte – como tudo da Xiaomi desde 2015, o Brasil foi hugobarrado no baile.

O Android Central tem um preview bem bacana, mas estamos na era dos vídeos instantâneos no Youtube, então divirtam-se.

Anúncios

A aposta da Nokia/HMD Global no Oreo

Uma das promessas da HMD Global ao trazer de volta os smartphones Nokia foi manter toda a linha atualizada. Até agora tem conseguido, mesmo que o Nokia 3 tenha demorado mais que o esperado. Então parece justo que a próxima parada seja a distribuição de Oreos.

Detalhe para Juho Sarvikas, o gerente de produto da HMD, não prometendo datas… o que faz todo sentido enquanto o Project Treble não vem a todos salvar (ou pelo menos facilitar o trabalho de atualização, ou mesmo de flashar ROMs de terceiros).

Os dias de comer Oreo

O nome favoritíssimo venceu: a nova versão do Android, 8.0, se chama mesmo Oreo.

Código no AOSP e imagens saindo do forno (inclusive para os abandonados Pixel C e Nexus Player, uau!), OTA daqui a alguns dias etc.

Ao contrário do Nougat, não foi anunciado Oreo vindo de fábrica em nenhum telefone não-Google; talvez não fosse mais tão necessário, com uma galera prometendo correr para atualizar.

PS.: Aqui é biscoito, mas aí pode ser bolacha que tá tudo bem. Tá tudo bem também se aí for Minas e tudo se chamar trem.