Raspberry Pi 4 só em 2019 e outras palavras de Eben Upton

Raspi-PGB001

Eben Upton, o Raspberry Pi-em-chefe, concedeu uma entrevista ao Xataka em que fala não só do Raspberry Pi 4 (que só virá em 2019, o que é uma excelente notícia para todo mundo que usa o pequeno notável como base de seus produtos, experimentos e hacks), mas também do esforço com o Raspbian, do Coder Club, da concorrência…

O PIXEL completa o Raspberry Pi como computador de uso geral

Praticamente um ano depois dos primeiros sinais e sete meses depois do Raspi 3, a Fundação Raspberry Pi lança o PIXEL, a interface gráfica oficial para a framboesa que o mundo ama.

Não apenas envolve mudanças no LXDE, que continua sendo a base para o Pi Improved Xwindows Environment, Lightweight, mas novas imagens de fundo, poder ligar/desligar Wifi e Bluetooth pela interface gráfica (finalmente!), o Chromium (com uBlock Origin!) como browser padrão e a integração do viewer e server RealVNC.

Todo esse ano de trabalho finalmente gerou frutos: todo um novo campo de aplicações para o Raspberry Pi como computador desktop se abre. Hora de comprar aquele cartão microSD de 16GB e queimar uma imagem do Raspbian Jessie.

A formação do Raspberry Pi como computador de uso geral

De todos os infinitos usos do Raspberry Pi, o uso como um computador desktop de uso geral foi, durante muito tempo, um item de prioridade baixíssima na Fundação.

Desde o lançamento (um pouco antes, na verdade) do Raspberry Pi 2, esta realidade mudou: depois de duas rodadas de mudanças na interface gráfica do Raspbian, o rebasing da distribuição no Debian Jessie traz uma importante mudança, que é o boot na interface gráfica por padrão (e mais algumas mudancinhas pra precisar pouco ir no shell).

Ou, para quem gosta de andar na moda, com o Raspbian Jessie, o display oficial e algum trabalho aqui e ali, é possível fazer seu Raspi Surface, ou Raspi Ipad Pro, ou Raspi Pixel C.